Nossas memórias digitalizadas

O projeto MyLifeBits

Image by brewbooks via Flickr
Encontramos várias definições para o termo memória. A mais simplória: é o nosso mecanismo de guardar e preservar lembranças. Para uma definição mais articulada pede-se ajuda aos estudiosos. Vamos lá! Memória é a base do conhecimento, devendo portanto ser trabalhada e estimulada, já que é através dela que damos significado ao cotidiano e acumulamos experiências para utilizar durante a vida. Voltando ao conhecimento comum, sabe-se que a memória deteriora com a idade. O grande vilão nos dias atuais e o terror de todos é o

O que é arte

Arte está no olhar de cada um

"A grandeza de uma obra de arte está fundamentalmente no seu carácter ambíguo, que deixa ao espectador decidir sobre o seu significado." Theodor Adorno
Na época da faculdade certo professor pediu que cada aluno definisse seu conceito de arte. Fui para casa já pensando a respeito. Percebi que não era fácil. Foi, para mim, um desafio conceitual e um exercício de escrita mais do que proveitoso. Percebi, durante o processo, que podemos escrever sem paixão, escrever por escrever, para mostrar serviço; ou escrever com a alma.

Os segredos de Audrey Hepburn

O texto a seguir foi escrito por Audrey Hepburn quando lhe pediram para revelar os segredos de sua beleza.

                                                                            by Audrey Hepburn
1. Para ter lábios atraentes, diga palavras doces.
2. Para ter olhos belos, procure ver o lado bom das pessoas.
3. Para ter um corpo esguio, divida sua comida com os famintos.
4. Para ter cabelos bonitos, deixe uma criança passar seus dedos neles pelo menos uma vez por dia.

Pérolas de sabedoria (1): 'The real Audrey'

Audrey Hepburn, um legado

“Os fados guiam àquele que assim o deseje; aquele que não o deseja, eles arrastam”. Joseph Campbell (citando a velha sabedoria romana em 'O poder do mito')
Audry Hepburn foi arrastada pelos fados. Disse ela que sua carreira era para si mesma um completo mistério. Nunca pensou em ser atriz, quanto mais que faria filmes e ganharia prêmios. Por tudo o que disse e contou de sua vida, nem em sonhos, nem em todas as imagens em que se imaginou no futuro, houve qualquer vislumbre de que sua vida poderia tomar o rumo que tomou.

Gente que é... gente!

Gente que não procura glórias

Perdi a comodidade da ignorância. (Michael Allred)

Admiro muitas qualidades nas pessoas e me maravilho. São qualidades que não tenho. De algumas estou bem distante. Anos luz! Fico admirando de longe, consciente da minha incapacidade. Não sei se devo sentir-me feliz com minha consciência, ou mais infeliz. Por um lado tenho o entendimento do que vejo e sinto, por outro tenho a consciência da inutilidade. Talvez a felicidade esteja mesmo na ignorância. Ser e fazer, ou não fazer, sem o saber.

Violência "animal"

"RPPN RIO DAS LONTRAS: BOMBEIROS MATAM LONTRA A CHUTES"

A manchete acima fez-me refletir. De onde vem tanta violência? Será que não é hora de avaliarmos os conceitos de evolução e inteligência? No reino animal somos os campeões da força bruta, verdadeiras feras, predadores de predadores. Tornamo-nos os donos do pedaço, arrasamos e devastamos, colocamos todas as outras espécies para

Livro/Filme: a obra Solaris

Sobre a eterna busca do homem por si mesmo


Foram duas versões cinematográficas. A segunda com a direção de Steven Soderbergh; a versão anterior, filmada no início dos anos 70, foi dirigida pelo russo Andrei Tarkowski e é considerado um clássico do cinema. 'Solaris' é uma importante e conhecida obra do escritor polonês Stanislaw Lem. Clássico da ficção científica do século XX, com mais de 20 milhões de exemplares vendidos no mundo, foi publicado pela primeira vez em 1961.

Psicologia - a serviço da sociedade

O remédio para muitos males da humanidade

"— Quem sou eu então? — Uma marionete. — E você não é? Ou talvez você seja minha marionete. Mas como todas as marionetes, você pensa que é realmente humano. Esse é o sonho de todas as marionetes." Diálogo extraído do filme Solaris
A profissão de psicólogo como atividade de ciência séria está sendo menosprezada por conta de uma imagem deturpada. O uso superficial e ou obscuro desta ciência pode estar encobrindo desde casos de pura safadeza e egoísmo institucionalizado, até catarse intestinal. Sempre é tempo e hora de lembrar um dos mais astutos e matreiros políticos da história, Hitler, que usou e abusou de mecanismos psicológicos para enganar uma nação e espalhar adeptos pelo mundo.

Símbolos da sabedoria (2)

Sócrates & Jesus Cristo

"Como tudo seria diferente se vencessem na vida aqueles que venceram na morte..." Cícero
Sócrates foi o corujão da filosofia. Muito à frente do seu tempo, parece ter nascido com toda uma compreensão do mundo e da natureza humana. Com base na premissa "Conhece-te a ti mesmo", fazia a apologia do conhecimento da alma. Saia pelas ruas descalço ensinando os jovens. Esse comportamento irreverente junto com seu desleixo pela aparência, levantou desconfianças e acabou por levá-lo à morte, acusado de corromper a juventude com sua filosofia subversiva.
Cinco séculos antes de Cristo, em uma época e lugar onde se adoravam mil deuses, Sócrates propalava a existência de um único. Para ele, a ordem cósmica é obra de um Espírito inteligente e não do acaso.

Sócrates X Jesus
Estudiosos chamam a atenção para certas similaridades na vida de Sócrates e Jesus. O livro dos espíritas tem um capítulo dedicado a Sócrates (e Platão) cujo título é bem sugestivo “Precursores da doutrina cristã e do espiritismo”.
Sabemos pelos discípulos e seguidores de Jesus e Sócrates, já que os dois nada escreveram, que além de serem ambos de família humilde diziam terem recebido sua missão de Deus. Mentores de multidões foram vítimas da inveja e medo da classe dominante . Apesar de terem tido a oportunidade de salvar a pele, ambos se mantiveram firmes nas pernas e nos ideais.

Virar as costas a tudo e seguir com a vidinha ou simplesmente sumir pelo mundo seria muito fácil. Mas Sócrates e Jesus fazem parte daquele grupo ínfimo de seres especiais que estavam condenados a virar mártires. Logo de caras, para nós comuns mortais com mentes tão ocupadas em insignificâncias, cujo grande ato de coragem, para a maioria, é ir ao médico fazer exame da próstata ou parir os filhos em parto normal sem peridural, só podemos relacioná-los a seres de outro mundo, no caso de Jesus, um Deus. Mas não o serão todos os mártires?

Veneno, chibatadas e crucificação não foram páreo para mentes tão supremas. Jesus e Sócrates viviam para além deles, para o futuro da humanidade. Morrer para mostrar ao mundo que a sua palavra, era o caminho, a verdade e a vida há muito estava determinado e resolvido em suas mentes. A dor física é para nós, ignorantes, que nada, realmente, sabemos, nem mesmo que o matamos. Jesus, ainda mente, corpo e espírito, "pai,
filho e espírito santo" a divina trindade como ele mesmo a todos chamou e ensinou, pregado na cruz olha a pobre humanidade do alto e sofre, profundamente. Sofre e teme pela rudez da nossa alma. No último suspiro, deixa a derradeira mensagem "... perdoa-lhes eles não sabem o que fazem", declarando assim seu amor sublime aos irmãos. O mesmo sentimento leva Sócrates a escolher o veneno.

E aqui permanecemos nós imersos na ignorância, acomodados em uma estupidez e unanimidade de milênios. E da estupidez nos fizemos mestres. Mestres na criação de minorias, para alimentar falsas grandezas, e logo nos tornamos bons também, em apontar alvos para desviar a atenção da própria miséria. O mais antigo e, no entanto, sempre atual método de promoção dos fracos (leia-se covardes): a loira burra, o negro, o gay, o pobre, o coitado, o deficiente, enfim sempre a minoria... E assim como aprendemos a reconhecer grandes almas, também nos especializamos nas artimanhas de destruí-las quando percebemos nossa santa ignorância ameaçada. É novamente a covardia falando mais alto, temente do desconhecido. Ser ou não ser? Diante da dúvida aniquilamos as grandes almas, frágeis diante da multidão. A semente por elas deixada permanece ínfima, raquítica pela falta de alimento, mais desenvolvida em uns poucos mas em todos presente, sobrevivente.
Foi nessa semente que Cristo e Sócrates depositaram sua fé. Foi essa semente coadjuvante na amortização da dor. Como o fazem os bons educadores, que não ficam nas meras e vãs palavras, foi necessário mostrar por atos, que é tudo verdade. Todos podem ter uma alma virtuosa. E porque é importante preservar a alma de maus sentimentos e libertar o corpo dos vícios? A brilhante dialética de Sócrates dá o que pensar: “Se a alma é imortal não é sábio viver em função da eternidade?”
E antes de terminar o texto que já está grande, é preciso ainda lembrar que as grandes almas só são grandes para os outros. Elas mesmas sentem-se pequenas e humildes diante da grandeza do Universo e fraternas para com o outro, a quem amam incondicionalmente como um irmão mais novo que precisa ser orientado e protegido. (Símbolos da sabedoria 1)

Related Posts with Thumbnails